Investimentos

Fruto do regime de estabilidade regulatória e da compreensão do poder público de que a universalização só pode ser alcançada por meio de esforços compartilhados, a iniciativa privada tem aumentado a sua participação no setor, aportando capital, expertise técnica e práticas inovadoras de gestão

A universalização dos serviços de água e esgoto no Brasil depende, em grande parte, da aplicação de volumes significativos de recursos pelos agentes econômicos do setor – o poder público e a iniciativa privada. Lançado pelo governo federal em dezembro de 2013, o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab) prevê, até 2033, a necessidade de investimentos anuais da ordem de R$ 15,2 bilhões para o alcance da universalização dos serviços de água e esgoto no país.