Dúvidas frequentes

Trata-se do conjunto de atividades necessárias para assegurar o abastecimento de água potável e a coleta, afastamento e tratamento do esgoto, assim como a infraestrutura e as instalações para realizar esses serviços.

É aquela que pode ser consumida pelo ser humano, seja para beber seja para o preparo de alimentos, por não carregar substâncias que ofereçam risco à saúde.   Nas operações, a qualidade da água é assegurada por rigoroso controle físico-químico e biológico e atende ao que é exigido pela Portaria nº 2914/2011 do Ministério da Saúde, que determina os padrões de potabilidade.

O objetivo desse procedimento é remover da água impurezas e as substâncias que, mesmo presentes naturalmente no meio ambiente, possam representar risco ao ser humano. O tratamento é feito em estações especialmente construídas para essa finalidade, que recebem a água bruta, captada de rios e represas. Para o tratamento, essa infraestrutura se vale, por exemplo, do uso de filtros e da aplicação de cloro e flúor.

A “fluoretação” da água canalizada é recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e, no Brasil, pelo Ministério da Saúde, para prevenir às caries dentárias. O flúor é um mineral natural encontrado em toda a crosta terrestre e na natureza de forma geral.  Ajuda a prevenir as cáries ao fortalecer o esmalte dos dentes.

Sim. A água fornecida pela Paranaguá Saneamento passa por um rígido processo de tratamento e um rigoroso controle de qualidade. Para que a água das torneiras estejam em condições ideais para o consumo, é necessário que se faça a limpeza dos reservatórios de água domésticos de 6 em 6 meses. Confira aqui o processo ideal de limpeza. 

A responsabilidade da qualidade da água de fontes alternativas, como os poços, é do usuário. A fiscalização da qualidade é da Secretaria Municipal de Saúde.

A instalação de filtro é uma decisão pessoal. Se a preocupação for com a qualidade da água que chega em sua residência, não há necessidade, pois os processos de tratamento utilizados asseguram que ela pode ser ingerida e usada no preparo de alimentos.

Não. A quantidade de cloro presente na água que chega às torneiras obedece os limites estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Antes de tudo, é importante verificar se essa alteração de cor já pode ser observada na água que chega à residência. Para tanto, basta abrir o ponto de água que fica ao lado do hidrômetro. Se a cor da água estiver alterada, o usuário deverá entrar em contato com a operadora. Pode ser que a ocorrência tenha relação com alguma obra realizada na rede de distribuição.

Se nenhuma alteração for verificada, é possível que a mudança de cor tenha relação com algum problema na caixa d'água e na rede interna da residência.

Não. Esse fenômeno ocorre quando há aumento de pressão na rede de distribuição, que reage com o oxigênio e outros gases naturalmente dissolvidos na água, formando microbolhas e gerando essa aparência "leitosa".

Essa ocorrência é passageira. Para verificar, coloque a água num copo e observe que ela volta a ficar transparente em alguns segundos. Essa água poderá ser consumida normalmente.

Se você, por alguma razão, achar que houve alteração na qualidade da água de sua residência, entre em contato com a Paranaguá Saneamento, que enviará um técnico para averiguar o problema, se necessário.

Após a coleta, o esgoto é enviado para uma estação, onde é devidamente tratado e devolvido aos rios na forma de água limpa.

Trata-se de um processo realizado numa estação específica. O tratamento ocorre em várias etapas, que incluem a separação do líquido e do lixo sólido que vem junto com o esgoto (como pedaços de papel e garrafas plásticas), a remoção dos dejetos, a ação de microrganismos que se alimentam da matéria orgânica e, naturalmente, transformam o que chega às Estações de Tratamento em água dentro dos padrões exigidos pelas autoridades ambientais para voltar à natureza.

O saneamento básico, e o tratamento de esgoto em particular, são essenciais para assegurar a qualidade de vida da população e prevenir a ocorrência de doenças.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que, para cada dólar investido em abastecimento de água potável e tratamento de esgoto, são economizados cinco dólares em atendimento médico. Para o órgão, 88% das mortes por diarreias no mundo são causadas pelo saneamento inadequado, e as crianças são as principais vítimas.

No Brasil, estima-se que 65% das internações hospitalares de crianças com menos de 10 anos sejam provocadas por doenças provocadas por falta de água limpa e coleta adequada de esgoto.

A troca dos hidrômetros é feita em duas situações, em casos de manutenções preventivas, devido ao seu desgaste, e em manutenções corretivas, quando ocorre problemas no seu funcionamento.

Com o passar do tempo, as engrenagens do hidrômetro desgastam, fazendo com que a sensibilidade diminua, sendo necessário a troca. Por isso, é possível que logo após a troca, ocorra uma elevação no consumo, devido ao equipamento ser novo e com sensibilidade adequada, registrando as reais vazões e, com isso, consumos ou vazamentos pequenos não registrados anteriormente.

Não. O funcionamento correto do hidrômetro é girar quando a água estiver passando por ele. Nos casos em que o hidrômetro girar sem ninguém estar utilizando água no momento, pode ser porque o nível do reservatório (Caixa d’água) está sendo completado com a passagem de água, ou pode ser indício de vazamentos internos, visíveis ou não visíveis. Verifique e tome as devidas providencias nos casos de vazamentos.

É possível sim. Quando o ponteiro gira sem o uso da água no imóvel, pode ser que esteja sendo completado o nível do reservatório de água (caixa d’água). Se o reservatório estiver completo e mesmo assim o hidrômetro estiver girando, pode ser sinal de vazamento interno, visível ou não.

Quando o hidrômetro apresenta esse tipo de movimento, está acusando uma oscilação da pressão da água na rede. Em condições normais, este movimento não interfere no consumo medido ou valor faturado da água.

O cronograma de leitura da Paranaguá Saneamento é preparado considerando o número de dias de cada mês, a existência de feriados e os finais de semana. Desta forma, a leitura do hidrômetro pode ocorrer entre 28 e 32 dias.

Sim. Nas localidades em que os imóveis estão ligados à rede coletora de esgoto, a Paranaguá Saneamento faz a cobrança, baseado em uma porcentagem proporcional à água consumida no imóvel.

A Paranaguá Saneamento administra quatro estações de tratamento, uma localizada no bairro Santa Helena – ETE Emboguaçu, outra no bairro Samambaia – ETE Samambaia, no bairro Nilson Neves – ETE Nilson Neves e no bairro Costeira – ETE Costeira. A Paranaguá Saneamento trabalha para universalizar a coleta e tratamento de esgoto para os próximos anos, com implantação de redes, elevatórias e novas estações de tratamento.

Para a implantação de uma nova rede de esgoto são necessárias algumas etapas: 

1ª Execução de obra da rede local (nas ruas do bairro); 

2ª Interligação da nova rede ao sistema de elevatórias e estação de tratamento. 

Enquanto esta nova rede não estiver interligada ao sistema, as ligações dos imóveis não poderão ser efetivadas, evitando assim, causar problemas de vazamentos nas vias públicas da região. O procedimento da ligação do seu imóvel à nova rede será informada por comunicados entregues junto á conta de água.

O proprietário do imóvel deve comparecer em nossa Central de Atendimento, com documentos originais e cópias da fatura de água do vizinho, documento do imóvel (registro do imóvel, contrato de compra e venda e IPTU), RG e CPF.

A solicitação é feita na hora e o prazo de ligação é de até 10 dias. Nossa Central de Atendimento está situada na rua Vieira dos Santos, 333, bairro Campo Grande, Paranaguá.

A partir da segunda conta vencida, é executado o corte no cavalete. Após a terceira conta vencida é feito o corte no ramal de água. É importante saber que o serviço de religação de água, é cobrado e tem custos diferenciados para o corte no cavalete ou no ramal. Procure manter suas contas em dia e evite transtornos.

Caso haja falha do recebimento com frequência, informe à Paranaguá Saneamento, pois é possível haver erro de endereçamento. Ou ainda, se o seu imóvel não possuir caixa de correio, pode haver o extravio. 

 

Quando é feito a leitura do consumo de água para o faturamento, se houver qualquer variação de consumo acima da média mensal, a conta de água fica retida para análise. A faz a entrega em até 72 horas, após a análise. Para os clientes que preferir, é possível entrar em contato, através da Central de Atendimento para solicitar a conta.

A varinha serve para auxiliar na leitura dos hidrômetros que se encontram em locais inacessíveis ao alcance manual dos leituristas.

A alteração é feita na hora, sendo que na próxima leitura, já constará o novo nome. A solicitação para mudança de titularidade da conta de água deve ser feita presencialmente, na Central de Atendimento da Paranaguá Saneamento, rua Vieira dos Santos, 333, bairro Campo Grande, Paranaguá.

Isso acontece porque os agentes arrecadadores têm de 2 a 5 dias úteis para comunicar os pagamentos recebidos à Paranaguá Saneamento.

A segunda via pode ser solicitada através dos seguintes canais de atendimento: Atendimento Virtual: com opção de impressão imediata (gratuita), clique aqui. Central de Atendimento: com opção de impressão (gratuita) no totem de autoatendimento ou impressão no atendimento presencial (a emissão será cobrada).

A Paranaguá Saneamento realiza a devolução de valores pagos em duplicidade, automaticamente, não sendo necessária sua solicitação. O crédito é efetuado em futura conta de serviços de água e/ou esgoto.

Existem algumas situações que podem elevar o valor de uma conta. Verifique se ocorreu alguma delas em seu imóvel: 

a) Vazamento de água visível ou não visível; 

b) Uso da água para construção ou reforma; 

c) Aumento do número de pessoas no imóvel no período medido; 

d) Ceder água para terceiros; 

e) Cobrança de execução de serviços de meses anteriores; 

f) Lavagem de fachadas de imóveis ou de garagens; g) Troca de água de piscina. Se não ocorreu nenhuma destas situações, para mais esclarecimentos, entre em contato com a Paranaguá Saneamento.

Geralmente o modelo de estrutura tarifária utilizado pelas empresas de saneamento é o da Tarifa Progressiva. Nesse modelo, o cálculo do valor da fatura depende da categoria do imóvel e do volume consumido, apurado através da leitura de hidrômetros. Transforma-se então o volume medido em valor faturado. Exemplo: Uma residência com consumo mensal medido de 30 m3: 

Os primeiros 10 m3 serão cobrados pelo valor 1 

De 11 a 30 m3 serão cobrados pelo valor 2 

De 31 a 60 m3 serão cobrados pelo valor 3 

De 61 a 100 m3 serão cobrados pelo valor 4

Acima de 100 m3 serão cobrados pelo valor 5 

Como o preço do metro cúbico aumenta a cada faixa, é muito importante que o cliente saiba como controlar o seu consumo, pois o valor da fatura poderá aumentar, principalmente em casos de desperdício e vazamentos.